Entrevista com Julie Genet

Presença marcante no último salão “Mes Créateurs Joailliers” em Paris (18/21 Nov), Julie Genet é uma joalheira francesa que se inspira em seu mundo fantástico para desenvolver sua arte com conhecimento profundo sobre gemologia e uma liberdade criativa contagiante… Eis aqui uma entrevista que tive muito prazer em realizar!

Report: Icaro Carlos.

julie1

Criações de Julie Genet – em Ouro Rosé e Ouro Branco com pérola negra do Tahiti.

 

Qual é a fonte de inspiração favorita de Julie Genet e quais são suas gemas favoritas?

Lendas, mitologia, literatura, cinema, contos de fadas, desenhos animados, natureza, astronomia, e a Idade Média me inspiram… Cada uma das minhas criações é uma fada que está surgindo a partir em um mundo fantástico, onde os heróis vivem fora do tempo e do espaço. Minha joalheria é como uma recreação para mim! Por exemplo, no meu mundo, Barbe Bleue (personagem principal de um velho conto francês por Charles Perrault escrito em 1697) está apaixonado por Lucky Luce (versão feminina de Lucky Luke). Ulysses ( “A Ilíada” e “A Odisséia”, Homer, 8o século antes de JC) voa uma nave espacial de planetas para asteróides e vive no lado escuro da lua, perto de Microvegas, reino do poderoso Rei de Spade que foi transformado em um sapo. Sou especialmente apaixonada por gemas que têm algo a revelar! O que eu mais gosto são os emocionantes efeitos visuais que as leis da física podem produzir em uma pedra, quando a luz interage com a estrutura da gema, como pedras dicroicas ou tricroicas, ou pedras com olhos de gato e os efeitos da mudança de cor.

Suas jóias são uma mistura de técnicas como 3D e fabricação manual ou são joias totalmente artesanais?

jgj_atelier_3

A artista em ação!

Eu utilizo diferentes técnicas. Algumas jóias são totalmente artesanais: faço uma escultura em cera, para passar ao processo de fundição por cera perdida. Ou eu posso construir diretamente a jóia no metal: corte, solda, polimento… Posso imaginar o design da peça, desenhá-la, e modelá-la em cera, resina ou 3D – fundindo em prata para ter uma idéia da forma final. A jóia é então prototipada e impresso em cera, para ser fundida em ouro. Este método me permite projetar e construir formas precisas, mas muitas vezes há uma diferença entre o que eu vi na tela e o modelo feito a partir do arquivo. Posso passar horas fazendo pequenas mudanças no arquivo, e voltar a fazer várias vezes a impressão 3D até que eu esteja feliz com o resultado. Seja qual for o método, cada jóia é finalizada na minha bancada, uma a uma. A coisa mais importante para mim é atingir o que eu tenho em minha mente desde o inicio. Eu escolho o método mais eficiente, com melhor custo-benefício para alcançar o meu objetivo. Não importa se é “feito à mão” ou “3D”, eu só quero que minhas jóias sejam “minha própria criação”.

jgj_atelier_1

Julie Genet em seu atelier.

Como o conhecimento em gemologia contribui para a criação de novas peças?

Meu conhecimento em gemologia me permite escolher a melhor gema preciosa para o projeto que tenho em mente, e para entender todas as regras técnicas para destacá-la. Por exemplo, dependendo da sua dureza, uma pedra será escolhida para um anel (peça que tem mais chances de ser riscada) ou para um colar. Para um “pavé”, você não pode usar pedras incríveis muito pequenas, pois eles vão perder o seu brilho e cor. Pedras com índice de refração muito diferentes não deve ser combinadas, porque uma deles vai aparecer mais brilhante do que a outra. Antes de conhecer todas essas características naturais sobre pedras, eu poderia me apaixonar por uma joia só porque eu achei bonita. Hoje, levo em conta todas as maravilhas físicas e técnicas que estão ligadas a uma pedra específica.

O que “Julie Genet Joaillerie” pensa sobre o futuro da joalheria?

Eu acho que as ferramentas e técnicas provavelmente serão cada vez mais precisas e eficientes, permitindo que os designers sejam cada vez mais criativos e inovadores! Talvez usemos material que nem sequer conhecemos hoje. Isso é o futuro! A coisa mais importante é que todas as pessoas e empresas envolvidas em joalheria respeitem a dignidade humana e mãe Terra.

Gostaria de saber um pouco mais sobre o anel publicado no livro “TANZANITE – Born From Lightning”. O fato da gema ser tricróica (refletir três cores diferentes de acordo com o ângulo que o observador olha a pedra) fez refletir no projeto de design da peça?

image

O anel “Barbe Bleue” by Julie Genet.

O fato da tanzanita ser uma gema tricróica não determinou o design, mas sim a escolha de diamantes negros em vez de diamantes brancos, que poderiam esconder a beleza original da gema colorida. Os diamantes negros dão um toque de mistério e tornam os vários tons das pedras coloridas ainda mais óbvios e elegantes. E, finalmente, o nome, Barbe Bleue, foi inspirado pelas diferentes cores da gema, que dependem da luz e da forma como olhamos para ela … O mesmo que para o personagem Barbe Bleue!

Créditos: http://www.juliegenet.com